quarta-feira, 12 de julho de 2017

O Tempo

Vamos Pensar sobre o tempo neste artigo. A primeira pergunta é: o que é tempo?

    O Dicionário da Língua Portuguesa define tempo como “duração calculável dos seres e das coisas; duração limitada; sucessão de dias, horas, momentos,    período; época; estado atmosférico; os séculos; ensejo; estação ou ocasião própria; cada uma das partes completas de uma peça musical, em que o  andamento muda; duração de cada parte do compasso; flexão indicativa do momento a que se refere o estado ou ação dos verbos.”
    A Bíblia declara em Eclesiastes 3.1 que “tudo tem seu tempo determinado,e há tempo para todo o propósito debaixo do céu”. O pregador, provavelmente  Salomão, faz uma descrição neste capítulo sobre como o tempo passa rápido. Ao mesmo tempo em que comemoramos o nascimento de uma criança, estamos  chorando a

segunda-feira, 10 de julho de 2017

“Famílias irresistíveis experimentam os princípios do reino de Deus no lar” -101 - 10.05.2017 - AULA 41 - FASE - 3


Leitura do Texto: Mateus 6.10
1. A expressão reino de Deus, refere-se à realização da vontade divina. Onde a vontade de Deus é acolhida e colocada em prática, ali está se manifestando o seu Reino. A primeira dimensão de manifestação do Reino ocorre em nossa própria vida como discípulos, ou em nossa própria experiência existencial. E, por extensão, deve se tornar visível em nossas relações familiares.
Ø  Por que devemos orar para que o reino de Deus se estabeleça?
Ø  Como experimentar a vontade de Deus em família?

2. A súplica pela vinda do reino de Deus indica o estabelecimento da soberania de Deus sobre todas as coisas, com o cumprimento na história de todas as promessas feitas pelo Senhor. As famílias cristãs podem descansar nas promessas da vitória de Jesus Cristo sobre todos os males que ameaçam a unidade familiar.
Ø  Quais são os principais males que ameaçam a unidade familiar?
Ø  Compartilhe o que a sua família tem feito, de prático e eficaz, que tem contribuido para implantação do reino de Deus.

3. A outra dimensão da súplica — “Venha o teu Reino” — tem a ver com o testemunho e o evangelismo. Cada discípulo de Jesus é chamado a fazer um novo discípulo. Temos diante de nós o desafio de trazer outros para também fazerem parte do reino de Deus. Temos o desejo de que o domínio do reino divino alcance as pessoas que estão distantes dos propósitos da graça. As famílias cristãs devem compartilhar as Boas-Novas com as pessoas ao redor.
Ø  Seu Núcleo Familiar tem contribuído para que o reino de Deus se manifeste entre os vizinhos e amigos?
Ø  Há alguém no Núcleo Familiar que foi alcançado pelo próprio grupo? Se ainda não, é hora de começar.
 
PARE REFLETIR: (5 min)
Estar no reino de Deus significa ter prazer em fazer a vontade de Deus. Na espera pelo Reino que ainda vai se consumar, temos a grande responsabilidade de antecipar esse momento por meio de nosso testemunho. O Senhor afirma que o reino de Deus se instala nas pessoas que se submetem à sua vontade e se manifesta por meio delas (Lc 17.20,21). As famílias cristãs precisam valorizar os princípios do evangelho, pois é na aplicação e na vivência desses princípios que o Reino se torna visível na vida e na conduta dos discípulos de Jesus.
MOMENTO DE ORAÇÃO: (5 min)        
1.                  Ore para que, primeiramente, o reino de Deus seja implantado e visto na sua vida.
2.                  Como Núcleo Familiar, estabeleçam alvos de evangelismo – pessoas que precisam ser alcançadas pelo reino de Deus. Citem nominalmente e orem por essas pessoas. Depois, criem algumas estratégias de alcance.


IGREJA BATISTA DO CALVÁRIO – SÃO JOÃO DO PARAÍSO – MG

quinta-feira, 6 de julho de 2017

“Famílias irresistíveis experimentam o amor paternal de Deus” -100 - 03.05.2017 - AULA 40 - FASE - 3

Leitura do Texto: Mateus 6.9
1. A oração do Pai Nosso é dirigida ao Pai por Jesus para ensinar seus discípulos a orarem. Encontramos no registro dessa oração, em Mateus 6.9-13, os principais elementos para a comunhão familiar, os propósitos divinos para a família e como tornar a ideia de família algo irresistível para a realização pessoal de cada um.
Ø  Você tem o hábito de orar a “Oração do Pai Nosso?”. Se não, por quê?
Ø  Qual a importância dessa oração para a família? Quais são os seus ensinamentos?

2. A oração começa com uma invocação simples e direta: “Pai nosso”. Jesus Cristo surpreendeu os judeus do seu tempo ao invocar Deus, em suas orações, de forma tão íntima como se faz a um pai pessoal. Jesus se dirigiu a Deus como Pai em diversas ocasiões, devidamente citadas pelos evangelistas nos textos do Novo Testamento.
Ø  Por que Jesus chocou tanto os religiosos do seu tempo?
Ø  De que maneira o “Deus Pai” tem se revelado a você?

3. Ao invocar o Pai, no início da sua oração em Mateus 6, o Senhor não diz “meu Pai”, e sim “Pai nosso”. O Senhor Jesus dá aos seus discípulos o direito de também chamarem Deus de Pai, com a mesma intimidade que Ele o fazia. Entendemos assim que, em Cristo, já não somos apenas criaturas feitas à imagem de Deus (Gn 1.27), colocados em lugar de honra no universo criado (Sl 8.4,5), mas recebemos a condição de filhos de Deus e o direito de invocá-lo como Pai (Jo 1.12,13). Deus é o nosso Pai, que está sempre próximo e presente em todas as horas.
Ø  Você já teve alguma experiência de sentir Deus bem próximo?
Ø  Sua família pode chamar Deus de “Pai nosso”?
Ø  Há alguém da sua família ou um amigo próximo que ainda não passou da condição de criatura para a de filho?

PARA REFLETIR: (5 min)
Deus é o criador e o sustentador de todo o universo. Mas também é o Pai amoroso e misericordioso, que se relaciona diretamente conosco. Devemos confiar nos propósitos do amor paterno de Deus, que nos inspira a amar ao próximo e esse amor deve ser demonstrado, em primeira instância, no ambiente familiar. Pois não há ninguém que seja mais próximo do que aquele que mora conosco debaixo do mesmo teto, ou dorme conosco na mesma cama. Você tem, realmente, amado a sua família, com o mesmo amor que Deus tem por você?
MOMENTO DE ORAÇÃO: (5 min)           
1. Peça a Deus que você pratique mais o seu amor, por intermédio das palavras e ações. Amar é uma decisão.
2. Agradeça a Deus pela sua família. Ela nunca será perfeita, mas pode ser saudável.


                IGREJA BATISTA DO CALVÁRIO – SÃO JOÃO DO PARAÍSO – MG
                                 www.ibatistacalvario.com.br - www.marcelooquadros.blogspot.com

domingo, 2 de julho de 2017

SOFRIMENTO QUE APERFEIÇOA A ALEGRIA DA SANTIDADE - 99 - 26.04.2017 - AULA 39 - FASE - 3

REFERÊNCIA BÍBLICA“Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te veem”. (Jo 42.5)
EXPOSIÇÃO DO TEXTO: este é um dos versículos mais famosos do livro de Jó. E é uma afirmação poderosa, dita somente por alguém que teve uma profunda transformação da parte de Deus. E a maioria de nós sabe que a experiência que Jó teve foi de um sofrimento que poucos já experimentaram na vida. De uma vez, ele perde sete filhos e três filhas, sete mil ovelhas, três mil camelos, cerca de mil bois, quinhentas jumentas, além de boa parte dos seus servos. Tudo isso aconteceu em um mesmo dia (Jo 1.13-19). Pouco tempo depois, teve uma doença que lhe feriu todo o corpo (Jo 2.7). Tanto sofrimento e sem uma causa justa, já que Jó tinha testemunho do próprio Deus de que ele era justo, íntegro e reto. Por que coisas ruins acontecem com pessoas boas? O que está por trás do sofrimento? E como devemos nos relacionar com Deus nos momentos de grande sofrimento?

DISCUSSÃO
1) Você já passou por um grande problema que de fato abalou sua fé em Deus?
2) Você já teve questionamentos a respeito da vida e em especial do sofrimento aos quais não obteve respostas?
OBJETIVO: perceber que nem todo sofrimento é fruto de pecado e também que Deus usa o sofrimento para nossa santificação.
CONTEXTO: uma coisa é viver uma tragédia repentina. Outra é sofrer a mesma dor por semanas, meses e até anos. Por que a fé e a reverência de Jó não foram recompensadas com uma rápida cura de sua doença? Em Jó 7.2-3 ele diz que isso já tinha meses. Jó não tinha mostrado que Deus era seu tesouro mais precioso, mais precioso do que a própria saúde? Então, por que Deus não restaurou a sorte de Jó? Os meses miseráveis de Jó começam em 2.11, quando Elifaz, o temanita, Bildade, o suíta, e Zofar, o naamatita, três amigos de Jó, ouviram falar de todo esse mal que lhe havia acontecido e foram visitá-lo. Quando eles o avistaram de longe, não o reconheceram. Antes, levantaram suas vozes e choraram, e rasgaram as suas vestes e jogaram pó sobre as suas

MINI P70 EM CURRAL DE DENTRO - 17/11/12

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

PROJETO APASCENTAR - DISTRIBUIÇÃO DE REVISTA

19º ENCONTRO DE PASTORES - IBIASSUCÊ - BA - 05-09/12

5º ANIVERSÁRIO DA UNIÃO DE JOVENS DA IGREJA BATISTA DO CALVÁRIO - 2012

FAÇA PARTE DA IGREJA BATISTA DO CALVÁRIO VOCÊ TAMBÉM

Uploaded with ImageShack.us

P70 22-25 / 2012 - EM NINHEIRA

ACAMPAMENTO DE INVERNO 22-25 DE JUNHO DE 2012

POSTE LINK DO BLOG NO TWITTER

COMENTE EM MEU TWITTER USANDO O LINK ABAIXO